| 2 semanas atrás

Globo: oito atrizes que saíram da emissora nos últimos tempos

Contrato fixo, exclusivo e de longo prazo já não é um privilégio de todos os atores na Globo. Aos poucos, isso vem se tornando regalia apenas para nomes do alto escalão – considerados indispensáveis -, como Tony Ramos, Gloria Pires e Adriana Esteves, por exemplo.

Por outro lado, o chamado contrato por obra virou uma opção bem vista por muitos artistas, que buscam trabalhos mais desafiadores em outros canais ou plataformas de conteúdo – como a Netflix – ou enveredam por projetos pessoais. Os atores Marco Pigossi e Bruno Gagliasso são dois exemplos recentes.

Confira a seguir oito atrizes que, por diversos motivos, saíram da Globo nos últimos tempos:

Bianca Bin

Foto: Divulgação

Uma das grandes estrelas de sua geração, Bianca Bin estreou em 2009 como a protagonista da “Malhação” e emendou uma série de personagens de destaque, até estrelar “O Outro Lado do Paraíso”.

Recentemente, ela recusou o papel de Josiane em “A Dona do Pedaço” e não teve seu contrato renovado. Por causa disso, deixou o elenco da próxima trama das 19h, “Salve-se Quem Puder”. O primeiro trabalho por obra de Bin na Globo seria em “O Selvagem da Ópera”, mas a supersérie de Maria Adelaide Amaral foi adiada por tempo indeterminado.

Bruna Marquezine

Foto: Divulgação

Um dos principais nomes da nova geração, Bruna Marquezine cresceu diante das câmeras e sempre foi requisitada para diversas novelas. Depois de adulta, porém, começou a impor muitas regras para suas escalações.

Primeiro, rejeitou duas protagonistas seguidas – em “Tempo de Amar” e “O Outro Lado do Paraíso”. Na sequência, foi bastante criticada por sua atuação como a vilã de “Deus Salve o Rei”, mas isso não abalou a confiança da Globo em seu trabalho e ela foi convidada para viver Érica, personagem defendida por Nanda Costa em “Amor de Mãe”. Com a nova recusa, Marquezine deixou a Globo para se dedicar aos estudos e agora só trabalhará por obra.

Isabella Santoni

Foto: Divulgação

Isabella Santoni estourou em 2014 como a Karina de “Malhação Sonhos”. Passou a ser uma das principais apostas da Globo, até irritar o público como a insuportável Letícia de “A Lei do Amor” e ganhar um papel de pouco destaque em “Orgulho e Paixão”.

Atualmente, a atriz está sem contrato fixo com a emissora e aceitou convite para encarnar uma funkeira sensual na Prime Video, streaming da Amazon.

Malu Mader

Foto: Divulgação

Malu Mader sempre foi considerada uma grande estrela: sexy simbol nos anos 1980 e 1990, colecionou uma série de protagonistas em todos os horários da emissora e era a queridinha do autor Gilberto Braga.

No entanto, passou a ser cada vez mais seletiva com seus papéis e durante os últimos 10 anos atuou em apenas três novelas: a segunda versão de “Ti Ti Ti”, “Sangue Bom” e “Haja Coração”. Por considerarem a veterana pouco produtiva, os executivos da Globo optaram por abrir mão do contrato fixo com Malu.

Carolina Ferraz

Foto: Divulgação

Carolina Ferraz é um dos nomes que, diferente das outras atrizes mencionadas, dificilmente voltará a aparecer em algum projeto da Globo, ainda que por contrato por obra.

Sem vínculo fixo com a emissora desde 2017, seu último trabalho foi “Haja Coração”, e na sequência, processou a casa por direitos trabalhistas. Aos seus fãs, resta matarem a saudade no “Vale a Pena Ver de Novo”: Carolina deu as caras em três das últimas quatro reprises da faixa vespertina.

Alessandra Negrini

Foto: Divulgação

Alessandra Negrini sempre deixou claro que preferia interpretar vilãs do que mocinhas. Suas únicas aparições nos últimos tempos foram em papéis de vigaristas atrapalhadas e cômicas em novelas de época das 18h.

Em razão de sua pouca produtividade, Negrini também deixou a casa e se aventurou no streaming: vai estrelar a série “Cidades Invisíveis“, na Netflix, ao lado de Marco Pigossi, galã que resolveu abandonar a Globo por vontade própria, de olho em outros tipos de trabalho.

Maitê Proença

Um dos maiores símbolos sexuais do Brasil nos anos 1980 e 1990, Maitê Proença andou chamando a atenção recentemente mais por polêmicas do que por seu trabalho. Achincalhou a jovem dublê de seu bumbum em “Liberdade, Liberdade”, sua última novela na Globo, e também passou a ser bastante criticada por suas posições políticas consideradas controversas.

Fora do ar na Globo, Maitê processou a antiga casa e não deve voltar a aparecer por lá tão cedo. Fez participação na série “Bruna Surfistinha“, na Fox, dando vida a uma jornalista lésbica.

Fernanda Vasconcellos

Outra cria da “Malhação”, Fernanda Vasconcellos emendou uma série de heroínas em novelas, devido ao seu carisma e talento, até ganhar uma aguardada vilã em “Haja Coração”.

Fernanda optou por se desligar da emissora para ganhar mais horizontes profissionais na Netflix, e vem tendo uma carreira muito bem-sucedida na plataforma online. Lá, já protagonizou duas elogiadas séries, “3%” e “Coisa Mais Linda“, e ainda dublou a animação de Natal “Klaus“.