1 semana atrás

Outras mortes, como a de Carlos de ‘Éramos Seis’, que pararam o Brasil

Por José Miguel Toledo

Não são apenas os vilões que acabam morrendo nas mãos dos autores de novelas. Muitas vezes, personagens do bem e queridos pelo público têm desfechos trágicos, levando os espectadores às lágrimas.

A última semana de “Éramos Seis” levou o público a se compadecer do sofrimento de Lola (Glória Pires) ao perder o filho mais velho, Carlos (Danilo Mesquita). Estudioso, responsável e íntegro, o rapaz levou um tiro durante uma manifestação popular e não resistiu. Rememore outros personagens, que como o filho da dona Lola, morreram contra a vontade do público.

Fernanda – ‘Mulheres Apaixonadas’ (2003)

Vanessa Gerbelli em cena de ‘Mulheres Apaixonadas’. Foto: Divulgação

O público sofria junto com a pequena e doce Salete (Bruna Marquezine), que era constantemente advertida em sonhos, por um anjo, que sua mãe iria morrer. E a profecia se cumpriu: Fernanda (Fernanda Gerbelli) terminou vítima de uma bala perdida no Leblon, em uma crítica à violência urbana no Rio. O sofrimento da órfã foi comovente.

Fred – ‘Mulheres Apaixonadas’ (2003)

Manoel Carlos não poupou as lágrimas dos espectadores na novela de 2003. No penúltimo capítulo da trama, o bom moço Fred (Pedro Furtado), aluno apaixonado pela professora Raquel (Helena Ranaldi), é sequestrado pelo violento ex-marido dela, Marcos (Dan Stulbach), que a agredia. Os dois morrem em um acidente de carro, diante de Raquel, que chora, inconsolável. Confira a cena ali acima.

Afonso – ‘Da Cor do Pecado’ (2004)

Lima Duarte e Sérgio Malheiros em ‘Da Cor do Pecado’. Foto: Divulgação

O rico e sisudo empresário Afonso Lambertini (Lima Duarte) redescobriu a alegria de viver e aprendeu a valorizar as coisas simples ao se encantar pelo neto bastardo Raí (Sérgio Malheiros), com quem construiu uma linda amizade. O desespero do garoto no leito de morte do avô, assassinado pelo monstruoso Tony (Guilherme Weber), cortou o coração de milhares de espectadores. Confira a cena abaixo:

Serena e Rafael – ‘Alma Gêmea’ (2005)

Priscila Fantin e Eduardo Moscovis em ‘Alma Gêmea’. Foto: Divulgação

Nem sempre os mocinhos das novelas vivem felizes para sempre. Os apaixonados protagonistas da trama de Walcyr Carrasco foram perseguidos pelas maldades de Cristina (Flávia Alessandra) por meses. No último capítulo, a vilã acerta um tiro no peito de Rafael (Eduardo Moscovis). Desesperada com a morte do amado, Serena (Priscila Fantin) infarta e morre, abraçada a ele.

Nanda – ‘Páginas da Vida’ (2006)

Fernanda Vasconcellos em ‘Páginas da Vida’. Foto: Divulgação

O público implorou pela felicidade da jovem grávida de gêmeos e rejeitada pela mãe, Marta (Lília Cabral). Mas Maneco foi irredutível: a doce Nanda (Fernanda Vasconcellos) morreu em um parto muito delicado, depois de ser atropelada. Sua morte era fundamental para que a trama andasse. Mas a “moça bonita” continuou aparecendo como espírito para proteger os filhos, como forma de apaziguar o sofrimento de seus fãs.

Dulce – ‘Morde & Assopra’ (2011)

Cássia Kis e Klebber Toledo em cena de ‘Morde & Assopra’. Foto: Divulgação

A sofrida e humilde faxineira era renegada e humilhada pelo próprio filho, Guilherme (Klebber Toledo), que mentia ser médico formado, quando na verdade passou anos torrando o dinheiro da mãe em farra. No decorrer da novela, Guilherme se redime e aprende a respeitar a mãe, mas Dulce (Cássia Kis) morre tragicamente, vítima de um câncer, no último capítulo. Confira a cena abaixo:

Norma – ‘Insensato Coração’ (2011)

Gloria Pires em ‘Insensato Coração’. Foto: Divulgação

Norma (Gloria Pires) estava longe de ser uma mocinha, mas muitos espectadores ficaram inconformados com a sua morte. Ela era uma simplória e humilde enfermeira que padeceu anos na cadeia por um crime que não cometeu, enganada pelo vilão Léo (Gabriel Braga Nunes), que a seduzira. Ao sair em liberdade, Norma se torna uma mulher dura e implacável em seu plano de vingança contra Léo. Em nome desse plano, Norma cometeu crimes, erros, matou, mentiu, chantageou… mas no fundo ela sofria por todos os seus erros. E acabou sendo assassinada pela mãe de Léo.

Jéssica – ‘Salve Jorge’ (2012)

A melhor amiga que Morena (Nanda Costa) faz na boate das traficadas conquistou o público. Doce e sofrida, Jéssica (Carolina Dieckmann) foi covardemente estuprada pelo crápula Russo (Adriano Garib), e os fãs clamaram para que ela se safasse dos bandidos junto à amiga. Mas Jéssica terminou morta, ao levar uma seringada fatal da inescrupulosa Lívia (Cláudia Raia). Confira a cena acima.

Comendador – ‘Império’ (2014)

Alexandre Nero em ‘Império’. Foto: Divulgação

José Alfredo (Alexandre Nero), o protagonista da novela de Aguinaldo Silva, teve um desfecho memorável, mas muito triste: morreu ao levar um tiro, nas costas, disparado pelo próprio filho, o ingrato e ambicioso José Pedro (Caio Blat). Suas duas filhas e suas duas mulheres se uniram para atirar suas cinzas do alto do Monte Roraima, o lugar para onde o herói viajava todo ano para repor suas energias, desde que era jovem.

Carolina – ‘Verdades Secretas’ (2015)

Drica Moraes em ‘Verdades Secretas’. Foto: Divulgação

Muita gente sofreu com o final da mãe zelosa de Angel (Camila Queiroz), que tinha um romance com o próprio padrasto, Alex (Rodrigo Lombardi). O empresário com ares de galã só se casou com a dona de casa simplória para ficar com sua filha. Ao descobrir tudo isso, Carolina (Drica Moraes) não suportou a dor e se suicidou com um tiro na cabeça.

Djanira – ‘A Regra do Jogo’ (2015)

Muita gente afirma que a novela de João Emanuel Carneiro perdeu a graça justamente aí: quando Djanira (Cássia Kis), a sofrida mãe de Romero (Alexandre Nero) que havia criado os mocinhos Tóia (Vanessa Giácomo) e Juliano (Cauã Reymond), morreu assassinada misteriosamente.

Nanda – ‘Os Dias Eram Assim’ (2017)

Júlia Dalavia em ‘Os Dias Eram Assim’. Foto: Divulgação

A reta final da supersérie das 23h foi comovente devido aos dramas de Nanda (Júlia Dalavia). A personagem chorou muito ao descobrir que havia contraído o vírus HIV no auge da doença – a trama se passava nos anos 1980. Nanda tentou lutar contra, mas morreu vítima da Aids, como muitas outras pessoas da época, no último capítulo da história.

Alberto – ‘Bom Sucesso’ (2019)

Antonio Fagundes em ‘Bom Sucesso’: Foto: Divulgação

O personagem mais cativante da novela das 19h recém-encerrada passou a trama toda na cadeira de rodas, vítima de uma leucemia. Todos sabiam que ele estava com os dias contados, até mesmo o ricaço rabugento. Mas seu carisma e sua linda amizade com Paloma (Grazi Massafera) conquistaram o Brasil. Todo mundo chorou com a morte inevitável de Alberto (Antonio Fagundes) no último capítulo da história.